Eu ainda sou do tempo
Do Biscainho rural
Está-me no pensamento
Nada democratas, nem mal

Da velha fabrica falida
Desenvolvimento e progresso
Caminho sem saída
Da qual não a regresso

74 era vinda
democratas e ladroes
po biscainho foi bem vinda
pra democratas e ladroes

terra de camaleões
terroristas e vilões
eles eram?
Mas são comunistas

Ah se pudesse escrever
Não ficava no pensamento
Aquilo que eu podia dizer
A verdade era tormento

Políticos e candidatos
A corrida ao tachão
Polípticos aos desbarato
A nação no caixão

Eram boas, eram novas
E todas prá direita
Eram pássaras sem ovas
No deserto não a colheita

Da mão bem fechada
O punho bem erguido
Tudo é chanchada
O pais está perdido

Foi-se a foice e o martelo
Ganhou quem não perdeu
É uma corrente, é um elo
Foi o lume que ardeu

Ass: o monarqua que sonha ser rei
Annimo a 29 de Outubro de 2005 às 20:10